top of page
  • Foto do escritorMariana Veltri

O que o evento do Google me ensinou sobre propósito



29.04.24 SP - Google mobiliza mulheres empreendedoras para falar dos benefícios da sua IA, a Gemini (se pronuncia “dieminai”), antiga Bard.


Neste sábado, 27/04, participei do “Cresça com o Google: Liderança Feminina na Era Digital”, realizado no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo. Um encontro que reuniu 10 mil mulheres empreendedoras, motivadas a levar ao mundo seus propósitos e fazer a diferença com seus negócios na era da Inteligência Artificial.


Mas o que não imaginava, é que, além dos insights que tive no evento, um ia fazer a diferença para mim. E está relacionado a um questionamento que me inquietava e começou lá atrás, quando trabalhei numa central sindical, a UGT.


Como coordenadora de comunicação, queria entender minha missão ali, sempre fui voltada ao universo cultural, comportamento, e de repente me vi num minimundo político.


Fiquei por lá 6 anos!! Era 2010 quando entrei, e umas das causas que vi surgindo com força era o empoderamento feminino, além dos ODM (Objetivos de Desenvolvimento do Milênio) e sua transição para os ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável). Claro que foram nessas editorias da Mulher e Sustentabilidade que acabei me debruçando.


Mas o que não imaginava é que hoje estaria eu no campo de batalha como empreendedora, com minha empresa, a Trilhas Online, integrando a Rede Mais Mulheres Empreendedoras, podendo conhecer histórias maravilhosas de mulheres que tiveram sua luta no CLT ou vencem dia a dia uma batalha para dar conta de uma tripla jornada como mães e empresárias.


Foi num dos encontros desses Cafés da Rede que fiquei sabendo do evento. Quando cheguei lá, vi que era totalmente inclusivo, voltado para mulheres empreendedoras.


Saí de lá com muitos insights e, principalmente, pude entender minha missão que começou naquela central sindical, onde tinha a Secretaria das Mulheres querendo conquistar seus espaços num ambiente extremamente masculino.


Não me via executando as coisas que precisava fazer, mas sempre buscava me aliar com aquelas Secretarias. Como jornalista, queria dar destaque para as ações desses setores que ficavam em segundo plano. Elas foram ganhando espaço, e fico feliz de hoje pensar que fiz parte desse movimento.


Mas o que isso está ligado com meu propósito?


Porque desde que me vi empreendedora, não sabia ao certo minha missão no digital. E hoje vejo claramente que uma semente havia sido plantada através das histórias de cada entrevistada que eu trouxe para as pautas. Nelas já trazia o meu olhar para fazer as matérias.


Hoje procuro trazer as histórias em forma de posts, nas redes sociais. Compartilho minha experiência em conteúdos para inspirar empreendedoras a se posicionarem no digital.  E vejo que é em torno de cada mulher, que reside essa potência no expressar e fazer acontecer.


O que eu quero dizer, que este evento não teve um cunho apenas para mobilizar a usar sua IA, mas algo muito mais profundo, de trazer para o palco a missão de cada uma dessas mulheres que querem fazer suas empresas acontecerem.


E como vou abraçar essa missão, deixo aqui os principais insights desse evento, que reuniu lideranças do Google e mulheres líderes de redes femininas empreendedoras, que também iniciaram sua história numa mesma época que eu.


Além de mostrar que a IA faz mais parte do nosso dia a dia do que a gente imagina, como ajudar a controlar o fluxo do tráfico, diminuindo ou aumentando os tempos dos faróis, ajudar nos avisos das aproximações das tristes catástrofes climáticas por nós causadas...


Destaco os principais tópicos:


  • A era Gemini vem para trazer: prosperidade, criatividade e eficiência.

  • A tecnologia como aliada do empreendedorismo feminino. As mulheres estão cada vez mais engajadas em se apoderar da tecnologia ajudar no faturamento da sua empresa, além de otimizar seu tempo.

  • A rede de apoio entre mulheres vem com força. Participar de eventos como esse é uma grande oportunidade de relacionamento e troca de experiências. Eu mesma que não costumo fazer networking, tenho me desafiado e dar espaço para isso e fiz boas trocas por lá.

  • Para usar com destreza a IA seja bem específico.

  • Na era de invasões hackers e fake news, pense bem antes de reagir. Compartilhar um conteúdo no calor da emoção, pode ser uma isca para os invasores digitais. Um conselho é refletir antes e ver se faz sentido sair compartilhando aquele link ou falar sobre alguma pauta. Cheque tudo antes.


E pra quem quer se aventurar pra dar os primeiros comandos pra IA, aqui vão as 5 regras:


Converse com a Inteligência Artificial, ela pode ser uma ótima aliada para aumentar sua criatividade. Mas você precisa treiná-la.


1.     Defina seu objetivo – comece com um verbo e desenvolva uma ação para ela te ajudar.

2.     Coloque uma função, um papel que a IA deve desempenhar.

3.     Defina bem o público-alvo.

4.     Oriente sobre restrições, estilo e tom de voz. Ao utilizar a IA, vá mostrando que tipos de palavras devem ser usadas, quais expressões não usar para que o texto possa te inspirar voltado para o seu universo.

5.     Você pode usar para múltiplos formatos. Desde escrever, cartas, fazer, posts, pautas para ações da equipe, organizar estrura da empresa, escrever roteiros e muito mais.

 

Outra sacada de mudança foi o nome da IA do Google, pra mim, bastante assertiva. Confesso que quando me deparava com o B quadradão do Bard, não me sentia atraída em usar... Sou usuária do ChatGPT e foi dfícil quebrar essa barreira para conhecer o Gemini. Preciso explorar mais para tecer comparações.


Valeu a experiência com várias mulheres pensantes, pulsando em ideias e rumo ao propósito de se unirem para crescer seus negócios sem fronteiras. Bora pra esse movimento?

35 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page